Iniciou sua carreira de carnavalesco na Beija-Flor, onde ficou de 1994 a 1997. Depois passou pela União da Ilha, Leandro de Itaquera de São Paulo, Unidos da Tijuca e em seguida foi para a São Clemente, onde ficou por dois anos tendo inclusive estreado no Grupo A. Em 2006, foi carnavalesco da Viradouro e no ano seguinte, continuou no outro lado da “poça”, só que como da Porto da Pedra. No carnaval de 2008 se afastou, mas foi convidado para participar da comissão de carnaval da São Clemente, mas só elaborando o enredo. em 2009, voltou a ser carnavalesco da Viradouro e no ano seguinte continuou em Niterói, só que como carnavalesco da Cubango. A partir de 2007 iniciou sua carreira internacional trabalhando no Brazilian Ball do Canadá, Toronto, onde esteve até a última edição do baile, em setembro de 2012. A partir de 2010 tornou-se o carnavalesco da primeira escola de samba de San Luis: a Sierras del Carnaval realizando os desfiles de 2010 a 2013. Nos últimos quatro anos realizou trabalhos relacionados ao carnaval em Estocolmo, Londres e Johanesburgo. Trabalhou como cenógrafo de Shows em Angola e Brasil, para artistas como Luan Santana e Ney Matogrosso.

É o Diretor Artístico dos espetáculos da Cidade do Samba, aonde está desde 2007. Graduou-se em Psicologia e fez Mestrado e Doutorado na UFRJ em Letras/Semiologia, sobre a Rapsodia Brasileira de Joãozinho Trinta. Atualmente frequenta o pós-doutorado da Eba-UFRJ estudando os “Signos de Brasilidade em Rosa Magalhães”. Atua também na TV, onde desde 2002, comentou vários desfiles do acesso e campeãs, para a CNT e Band, sendo que na própria Band, esteve como comentarista do Festival Folclórico de Parintins.

Em 2013, foi pra Rede Globo, onde comentou os desfiles da Série A e Grupo Especial. Ainda durante o carnaval, foi acertado sua ida a TV Record, onde foi um dos jurados do Got Talent Brasil e Chegou a fazer uma participação especial na novela Balacobaco. retornou a Globo para comentar os desfile do Grupo Especial, e em 2014 fez um especial para a Copa do Mundo de 2014 no RJTV, chamado de Me Dá Um Help Aí e no mesmo telejornal, faz a apresentação da coluna Enredo e Samba.

Continuou como carnavalesco da Sierras del Carnaval e foi coordenador do Campos Folia 2014. Depois de um pouco afastado do Carnaval Carioca no que tange a escolas de samba, Milton retornaria a Viradouro, pelo qual faria pesquisa do enredo. Em fevereiro de 2015, lançou pela Editora Senac/São Paulo o livro “Carnaval é Cultura, poética e técnica no fazer Escola de Samba”.

Permaneceu como comentarista do Desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro na Rede Globo e exerceu a mesma função no desfile das campeãs, pelo G1. Milton foi escolhido pela nova liga de carnaval: Associação Samba é Nosso pra ser o diretor cultural da entidade.

MILTON CUNHA